créditos: Reprodução

Erros para não cometer ao degustar vinho

Se você gosta de apreciar um bom vinho, preste atenção nessa lista pois vamos elencar os 7 erros que as pessoas cometem com mais frequência ao degustar a bebida. Confira:

Comprar vinho pelo rótulo

Antes de tudo, é necessário comprar a garrafa e você já sabe que não deve julgar um livro pela capa. Quando o assunto é vinho essa história não é diferente. Na hora de escolher um vinho, não julgue pelo rótulo.

Já vi garrafas com um rótulo lindo, mas com um produto horrível quando aberto. Utilize o rótulo apenas para coletar informações referentes as uvas, ano de produção, vinícola e outras informações que serão importantes para conhecer mais sobre as características e qualidades do produto.


Deixar o vinho muito gelado

O Brasil possui um clima tropical bem quente, mas isso não é justificativa para deixar o vinho muito gelado. Se você tomar o vinho a uma temperatura muito baixa, a bebida perde suas notas e características originais.

Vale ponderar também que tudo depende do tipo de vinho. Algumas variantes, como espumantes, vinho rosé e até mesmo alguns vinhos brancos podem ser apreciados em temperaturas mais baixas. Entretanto, já presenciei pessoas tomando bons vinhos tintos (envelhecidos) em temperaturas longe da ideal.

Para que você possa sentir a diferença e entender o que estou falando, pode fazer um pequeno teste. Pegue uma taça de vinho bem gelado, experimente e deixe esquentar um pouco (para acelerar esse processo você pode segurar a taça pelo bojo). Quando a temperatura da bebida se elevar, experimente de novo… Você vai notar que a bebida em uma temperatura mais próxima da ambiente estará com sabor e aroma mais marcante.


Segure a taça de maneira correta

Muitos já estão cientes dessa regra, mas vale reforçar. A taça de vinho possui uma haste justamente para que você não precise segurá-la pelo bojo. Isso por conta que suas mãos transmitem calor, e ao segurá-la pelo bojo pode acabar alterando a temperatura da bebida, e também a experiência ao degustá-la.

Mas toda a regra tem suas exceções. Se a bebida estiver perdendo características por conta de estar em uma temperatura mais baixa que a ideal, você pode segurar a taça pelo bojo a fim de aquecer o vinho e devolver suas características e notas ideais. Agora, se seu objetivo é apreciar a bebida na temperatura em que ela foi servida, sempre segure a taça pela haste.

Não encha a taça até a boca

Vinho não é cerveja. Ao servi-lo, cuide para não encher a taça até a boca. Isso deixa a taça mais pesada, e pode interferir na experiência de quem degusta a bebida. O ideal é servir cerca de 150 ml ou até 2/3 da taça, mas nunca ela toda. Isso permite degustar da melhor forma, sentindo os aromas e bebendo com tranquilidade.

Não tenha pressa ao degustar

Se você está com sede, melhor tomar água. Aliás, contar com uma taça de água ao lado pode ajudar (e muito) na degustação de um bom vinho, uma vez que ela ajuda a hidratar e limpar as papilas gustativas para o próximo gole, melhorando consideravelmente a experiência.

Evite tomar o vinho muito rápido, do contrário você vai acabar não apreciando todo o potencial da bebida. O melhor caminho para apreciar um vinho e fazê-lo com calma, afim de notar as diferenças entre um vinho e outro.


Não tome sempre o mesmo vinho

Entre as práticas recomendadas por apreciadores de vinhos, está a variação de rótulo. Afinal de contas, atualmente existem mais de 6 milhões de rótulos, com sabores e características bem variadas. Então, procure aprimorar seu paladar e experimente vinhos com características distintas, de diferentes tipos de uvas, regiões e tempo de envelhecimento variado. A cada nova garrafa, você vai descobrir um novo pedaço do mundo dos vinhos.

Uma dica válida é usar aplicativos que podem te auxiliar a obter informações sobre os diferentes tipos de vinho. Em breve vamos falar sobre eles aqui na coluna.


Não siga as regras da harmonização

Aqui está um ponto que vários especialistas vão discordar. Existem algumas regras clássicas de harmonização de vinhos com certos pratos, como, por exemplo, vinho tinto com carne vermelha e vinho branco com frutos do mar. Mas as regras nasceram para ser quebradas, e no universo do vinho não é diferente.

Tente fazer diferentes combinações e descobrir novos sabores. Coma carne vermelha com vinho rosé, frutos do mar com vinho tinto, frango com vinho branco e assim por diante.

Quem vai determinar se fica bom ou não é o seu paladar!


Luiz Filipe de Melo


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Edições Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha