créditos: Reprodução

Como montar um queijos e vinhos perfeito.

Passo-a-Passo: Como montar um queijos e vinhos perfeito.

Queijos e vinhos são uma combinação perfeita. É muito difícil encontrar quem não aprecie a tradicional bebida italiana, que se popularizou ao redor do mundo, principalmente quando acompanhada de um bom queijo. Mas enquanto para algumas pessoas é quase que intuitivo, outras encontram certa dificuldade em fazer a combinação ideal para cada momento.

Além disso, essa é uma maneira prática de preparar uma refeição sofisticada e muito saborosa. Também é uma ótima pedida para reunir a família ou os amigos em volta da mesa tanta formalidade quanto um jantar e pode até mesmo ser melhor que um jantar romântico quando a ideia é conquistar aquela gata.

Para te ajudar na hora de escolher os queijos e vinhos certos para cada momento e as combinações ideais produzimos esse passo-a-passo.


Regra de ouro

Antes de mais nada, é importante lembrar que um queijos e vinhos é um momento para que todos possam aproveitar. Então nessa hora você deve considerar o estilo do evento, mas monte uma combinação que lhe agrade e leve em consideração também o gosto das outras pessoas que vão estar presentes. Você deve respeitar todo tipo de queijo e escolher um vinho que também respeite.

Busque encontrar a harmonia entre os sabores e pondere o gosto dos presentes na festa. Isso vai ajudar a planejar um momento que será agradável para todos os presentes.


Sobre a harmonização

No texto acima falamos sobre buscar a harmonia, e este é um ponto tão importante que merece um tópico para falar só dele. É importante ficar atento para alguns detalhes que vão te ajudar a chegar em uma combinação harmoniosa e surpreendente.

Além de formar uma combinação perfeita, queijos e vinhos tem bastante em comum. Ambos têm denominações que diferenciam seus estilos. Queijos frescos, que tem como uma característica possuir uma massa mais mole como “Mozzarrella” e “Ricota”, tem como origem as montanhas italianas, e formam uma combinação perfeita com Pinot Grigio.

Se você prefere um bom vinho tinto, um Barbera, também da região montanhosa, é uma ótima pedida.

Como tornar o momento perfeito

Talvez uma mesa farta com vários tipos de queijos e um bom vinho sejam ideais para seu momento. Na verdade, eu acredito que essa combinação acerta na maior parte das vezes. Porém para que ela funcione é necessário que o vinho seja muito bom e equilibrado, sem traços como acidez ou fruta muito marcantes ou taninos muito agressivos.

Em minha opinião, um coringa que funciona em qualquer momento é uma combinação de queijos frescos com um bom vinho branco como entrada. Seguido por uma combinação de queijos mais consistentes e salgados, acompanhados por um bom vinho tinto. Se você aprecia queijos azuis (com bolor), opte por um vinho mais doce que vai realçar o sabor do queijo. Você pode distribuir todos os queijos em uma única mesa, armazenando cada tipo de queijo em uma tábula distinta.

Se quiser tornar o momento ainda mais refinado, uma boa dica é servir uma taça de espumante em entre as rodadas para limpar o paladar.


Sobre as combinações

Para a entrada, priorize queijos de massa mole e frescos


Brie  

Este é um coringa entre os queijos. Inclusive, entre seus apreciadores está Napoleão. Dizem que uma peça de Brie era exigida por Napoleão sempre que retornava de suas conquistas. Se você optar por servir este queijo como entrada, siga o exemplo do imperador e combine com o um bom champanhe, que realça as características de acidez, cremosidade e leve dulçor encontradas nesse queijo. Se estiver em dúvida sobre qual escolher, recomendo um Muscadet. Entretanto, se for servir o Brie quente, opte por um Cabernet Franc.

Os melhores Brie são originários da Normandia, onde costumam consumir este queijo acompanhado de uma cidra de excelente qualidade. Infelizmente contamos com poucos bons exemplares dessa bebida que tem por base maçã no Brasil. Se você encontrar uma cidra de boa qualidade, ela pode substituir o espumante.


Camembert  

Primo do Brie, este queijo tem como característica própria ser mais fresco e menos complexo. Para acompanha-lo você pode optar por um Chenin Blanc ou um Cabernet Sauvignon jovem.


Queijo de cabra

Uma característica do leite de cabra é ser menos gorduroso que o leite de vaca, isso faz com que seu queijo tenha características únicas como ser fresco e de acidez elevada, e por isso é comumente encontrado saborizado, temperado com ervas, pimentas e os mais variados condimentos. Para ressaltar as características e quebrar a alta acidez do queijo de cabra, recomendo um Alvarinho ou um Gamay.


Como intermediário, dê preferência aos queijos meia-cura


Gruyère

Como característica, este queijo possui uma massa mais densa e poucos conhecem sua origem, nos Alpes Suíços. O leite de vaca ganha um toque de açúcar durante seu processo de fermentação. Esse queijo fica uma delícia quando acompanhado por vinhos leves e frutados, como um Sauvignon Blanc ou um Pinot Noir.


Emmenthal

O Emmenthal é o principal concorrente do Gruyère como queijo suíço mais exportado. Este queijo também é produzido na frança, principalmente na Savoie. Enquanto o Gruyère tem uma massa menos dura e fica melhor quando servido quente, o Emmenthal é ideal para as tábuas, preferencialmente servido em fatias grossas para valorizar seus furinhos. Para acompanha-lo, opte por um Chasselas ou um Mondeuse.


Serra da Canastra

O queijo mais famoso produzido no Brasil tem como base o leite cru. Entre suas características, estão a massa densa e sabor potencializado de acordo com o tempo que este permaneceu em cura. Aqui vamos aproveitar a oportunidade de mostrar um vinho Brasileiro feito com o mesmo cuidado, como Viognier, da Guaspari ou o jovem Merlot da Aracuri.


Queijo do Azeitão

Com sua massa mais pastosa, seu sabor amanteigado e de alta pungência. Para combinar com este queijo, opte por vinhos mais intensos, como como um Encruzado ou um Syrah do Rhône.


Para fechar, os mais complexos

Parmeggiano Reggiano

Este tipo de queijo é considerado salgado, e é famoso pela sua longa maturação. Isso faz deste queijo um verdadeiro desafio para escolher um vinho a sua altura. Caso queira seguir com um vinho branco, sugiro um Malvasia envelhecido, que faz um contraste muito interessante. Se seu objetivo é ser clássico, um Chianti também pode ser uma excelente opção.


Gorgonzola

Este queijo azul da Itália também pode ser doce ou picante. Eu deixaria este para o grande final, acompanhado de um vinho meio doce, licoroso ou de colheita tardia como Tokaj ou um Cabernet Sauvignon licoroso.


Roquefort

Este queijo azul francês tem como base leite de ovelha, e deve-se tomar cuidado para que ele não destrua o processo. Sempre deixe este queijo por último. Para tornar a experiência única, ele pode combinar com brancos ou tintos doces, que vão enfatizar o sabor marcante como um Sauternes ou um Porto.


Bella Club


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Edições Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha