créditos: Bella da Semana

Melhores vinhos da América do Sul

Apreciar um bom vinho com sabor e aroma inigualáveis é uma experiência única, independente do momento. Não à toa somos apaixonados por vinho, inclusive podemos observar que desde os primórdios da história da humanidade, até os tempos atuais, essa é uma das bebidas mais consumidas.

Aqui na Bella da Semana adoramos apreciar e falar sobre vinhos, inclusive já produzimos diversas colunas com assuntos variados sobre este tema, como a paixão pelos aromas, a forma correta de armazenar as garrafas e sobre algumas qualidades mais específicas de vinhos, a exemplo da coluna sobre Vinho do Porto. Agora é a vez de falar sobre o guia “Descorchados” (ou desarrolhados, em tradução literal), que foi lançado pelo crítico Chileno Patricio Tapia, que chega a sua 20ª edição com mais de 3 mil vinhos degustados.

Quando o guia começou, Tapia avaliava e acompanhava apenas rótulos de seu país, e aos poucos foi incorporando ao portfólio de seu guia vinhos de outros locais como Argentina, Uruguai e, por último, o Brasil.

Nesta edição do guia, lançada pelo grupo Inner, além de espumantes, foram avaliados vinhos tintos e brancos brasileiros, provenientes de dezesseis vinícolas nacionais. Também vale ressaltar que de todos os quatro países que tiveram seus vinhos analisados, o Brasil foi o único a ter vinhos que se enquadram como “Vinhos Laranja”, fato que mostra a importância desse estilo ainda desconhecido por grande parte dos consumidores. O vinho laranja nada mais é que o vinho branco fermentado como vinho tinto. E foi justamente um vinho deste estilo que obteve a maior pontuação entre os vinhos nacionais.

Outro fato que também chama atenção é que os dois vinhos tintos nacionais que alcançaram maior pontuação são originários da Campanha Gaúcha, um deles tem por origem uma variedade de uva mais associada a Portugal que ao Brasil, conhecida como “Touriga Nacional”, este vinho é o Miolo Single Vineyards.

O outro foi um Tannat de antigos vinhedos da Almadén, hoje do Grupo Miolo, na fronteira do Brasil com o Uruguai, o Vinhas Velhas Tannat 2015.

Entre os vinhos brancos também existem surpresas. A maior pontuação foi atribuída a um vinho de cesta, sem muita representatividade, originário da Serra Gaúcha.O Pizzato 1.3, 2017, é um Semillon, do qual foram produzidas apenas 300 garrafas, às quais, obviamente, pouquíssimos consumidores terão acesso.

Já no quesito espumantes, o topo do ranking ficou dividido entre dois exemplares, um assinado pelo famoso enólogo Adolfo Lona, nome importante da vitivinicultura brasileira, este é o Orus Edição Especial Silvia 1972 Nature Rosé Clair NV. Já o outro, o Sur Lie Natura 30 Meses Chardonnay, Pinot Noir NV, faz parte do estilo sur lie (que significa que o vinho não é clarificado antes do engarrafamento) o que, segundo o próprio Tapia, “está virando tendência no Brasil”.

Com 1200 páginas, o Descorchados está a um passo de deixar de ser um guia. Seu conteúdo praticamente faz dele uma enciclopédia, com os melhores vinhos produzidos nos quatro países. A título de comparação, o famoso Pocket Wine Book, do britânico Hugh Johnson, que cobre vinhos de todo o mundo, tem somente 338 páginas em sua versão 2018.

Agora vamos ao que realmente interessa. A lista dos melhores vinhos segundo este esplêndido guia:

MELHORES DO ANO


*Em casos de empate, então dois rótulos dividem o pódio.**

Espumante Brasileiro


● Orus Edição Especial Silvia 1972 Nature Rosé Clair NV – Serra Gaúcha por Adolfo Lona (93 pontos)

● Sur Lie Natura 30 Meses Chardonnay, Pinot Noir NV – Vale dos Vinhedos por Casa Valduga (93 pontos)

Branco Brasileiro


● Pizzato 1.3 Sémillon 2017 – Vale dos Vinhedos por Pizzato (92 pontos)

● Luiz Argenta Cave 8 Anos Chardonnay 2010 – Altos Monte por Luiz Argenta (92 pontos)

Tinto Brasileiro


● Miolo Single Vineyards Touriga Nacional 2017 – Campanha Gaúcha por Miolo Wine Group (93 pontos)

● Vinhas Velhas Tannat 2015 – Campanha Gaúcha por Miolo Wine Group (93 pontos)

Vinho Laranja Brasileiro


● Era dos Ventos Peverella 2014 Serra Gaúcha por Era dos Ventos (94 pontos)

Espumante Chileno


● Chardonnay, Pinot Noir NV - Casablanca por Morandé (94 pontos)

Branco Chileno


● Las Pizarras Chardonnay 2016 – Aconcágua por Errázuriz (97 pontos)

● Talinay Sauvignon Blanc 2017 – Limarí por Tabalí (97 pontos)

Tinto Chileno


● RHU 201 – Elqui por Viñedos de Alcohuaz (98 pontos)

● Chadwick 2015 – Maipo por Viñedo Chadwick (98 pontos)

Espumante Argentino

● Ayni Nature Sparkling Wine Pinot Noir N/V Paraje Altamira por Chakana (94 pontos)

● Baron B Brut Rosé 2014 – Mendoza por Chandon (94 pontos)

Branco Argentino


● Adrianna Vineyard White Bones – Mendoza por Catena Zapata (97 pontos)

Tinto Argentino


● Seminare Malbec 2016 Gualtallary por Gen del Alma (99 pontos)

Espumante Uruguaio


● Bodegas Carrau Dixième Brut Nature Chardonnay NV Las Violetas por Bodegas Carrau (92 pontos)

● Pizzorno Rosé Brut Nature Pinot Noir 2016 Canelón Chico por Pizzorno Family Estates (92 pontos)

Branco Uruguaio


● Single Vineyard Albariño 2017 – Maldonado por Bodega Garzón (93 pontos)

Tinto Uruguaio


● Deicas Valle de los Manantiales Tannat 2016 – Maldonado por Bodega Familia Deicas (95 pontos)

Bella Club


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Edições Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha