Reflexões
créditos: Pixabay

Reflexões

De dia somos escravos dos outros, de toda aquela humanidade que nos exige pensando, respondendo, participando, desde os mais íntimos aos apenas conhecidos e de todos os estranhos que passam dirigindo, correndo ou simplesmente cruzam com nossa realidade pelas ruas do mundo.

Somos escravos de celulares, computadores, mensagens, reuniões, horas marcadas, sempre atrasados até sem sabermos ou notarmos que as horas passam, para nos envelhecer e mostrar cruelmente a inutilidade da pressa.

"Devagar se vai ao longe", diz o ditado português, mas nos tempos modernos a pressa é parte da perfeição exigida pela vida.

"Não faço nada na vida, apenas existo", dizia Fernando Pessoa, mas quem aceita esta simples verdade nos dias de hoje?

Ainda Fernando Pessoas dizia "Não sou nada, nunca serei nada, não posso querer ser nada, à parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."

De noite fica diferente, somos escravos das estrelas, dos sonhos, das realidades que ainda não vivemos e que talvez nunca vamos viver, e dos pesadelos, que nos invadem sem aviso, lembrando tudo que vivemos e que sofremos.

Procuramos a mulher na cama e, com ela ou sem ela, sentimos uma certa solidão, aquela solidão de não sermos o gênio que existe dentro de nós, o gênio imaginário que nos torna heróis de nossos sonhos.

De madrugada acordamos, tateamos para o banheiro escuro e ignoramos os espelhos. Acordar não é bonito, é bom, muito bom, é prático, é saber que estamos vivos apesar das vésperas e que o passado está se afundando nos sonhos e que já é dia e tudo vai recomeçar, a escravidão invisível vai nos pressionar e vamos repetir o mesmo de sempre.

Mas para todos nós vai existir um dia em que a esperança vai virar realidade e, mesmo na escravidão das horas, das noites mal dormidas e das madrugadas ansiosas, vamos ser realmente heróis, heróis de verdade, simplesmente porque encontramos o amor.

E somando amores vamos perdendo os rancores, porque mesmo sem notar viramos senhores de nossos corações.

E assim podemos reescrever o poema de Fernando Pessoa e dizer:
Eu sou tudo
Sempre serei tudo
Não pode ser diferente
Porque amo e sou amado o que é melhor, bem melhor que todos os sonhos do mundo.

(que me perdoe o mestre Fernando Pessoa por brincar com suas palavras).

 

Max Gonçalves



Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa afiliados Área do parceiro Publicidade Imprensa Contato RSS