Mergulhe fundo!
créditos: Getty Images

Mergulhe fundo!

Não existe quem não tenha vontade de ficar por horas dentro da água como um peixe. Mergulhar em lindos mares, ver todos os tipos de peixes, corais e a fauna marinha, ou até arriscar mergulhos em meio aos tubarões. Podendo ser praticado por qualquer tipo de pessoa, o mergulho não está apenas restrito aos jovens. Com um preparo físico razoável é possível descobrir os encantos marinhos sem muitas dificuldades.

O mergulho tem suas origens na antiguidade. A técnica era usada para o resgate de armamentos e alimentos. Há mais de 4mil anos a.C, o Japão tinha mergulhadores especializados na caça de pérolas. Com o tempo a tecnologia se desenvolveu, principalmente durante as guerras, quando os armamentos eram resgatados e o inimigo atacado através de meios inovadores de mergulho. Os equipamentos se desenvolveram no século XX e, com a chegada das fibras artificiais, os tecidos pesados foram trocados por roupas de borracha.

O primeiro homem a mergulhar com segurança foi o padre italiano Giovanni Alfonso Borelli, em 1679. Com um traje impermeável feito de couro e untado de sebo, o padre tentava de maneira rústica reduzir as agruras causadas pelo frio, uma das grandes dores de cabeça dos mergulhadores. Aristóteles narrou o mergulho de Alexandre - o Grande, num sino primitivo para observação marinha. O imperador Xerxes também organizava expedições marinhas para resgatar tesouros persas que estavam submersos.

No Brasil, o mergulho chegou através de equipamentos trazidos por pilotos de companhias aéreas que vinham principalmente dos Estados Unidos, há cerca de 50 anos. Na década de 60 alguns brasileiros começaram a mergulhar e os cursos realizados no exterior formaram os primeiros instrutores donos de escolas no país. Algumas certificadoras internacionais chegaram ao país, outras nacionais foram também criadas e escolas com cursos básicos e de aperfeiçoamento e equipamentos recentes. O público praticante de mergulho movimenta um grande mercado nos setores esportivo e de lazer, onde hotéis, pousadas, lojas e importadoras desempenham um importante papel.


A competição
No mergulho existem três tipos de modalidade: livre, autônomo e dependente. O mergulho livre é uma categoria que consiste basicamente no mergulho subaquático utilizando apenas uma máscara de mergulho, um respirador e uma nadadeira. Nada mais é do que o uso apenas dos pulmões. Pode ser praticado em piscinas, lagos, rios e no mar. O mar é o preferido pela maior diversidade de espécies de animais e a complexa fauna marinha.

A apneia é usada para efetuar as imersões aquáticas, e pode ser designada como a suspensão voluntária da respiração, ou ainda a interrupção da comunicação do ar atmosférico com as vias aéreas e com os pulmões. Designada como esporte, a apneia abrange diversas modalidades, onde basicamente o atleta que permanecer mais tempo submerso ou então percorrer a maior distancia ou profundidade sob a água sem o auxílio de equipamentos para a respiração é o vencedor. Apenas algumas baleias podem permanecer em apnéia por mais de 90 minutos, enquanto os seres humanos suportam cerca de dois minutos. Conseguindo manter a lucidez, apenas alguns atletas ultrapassam os cinco minutos de apneia.

O mergulhador francês Jacques Mayol foi o primeiro homem a descer em um só fôlego a menos de 60 metros em 1966 e depois a menos de 100 metros em 1976. Novamente a menos de 105 metros em 1985. Jacques Mayol era conhecido como ´homem golfinho´ sendo estudado por muitos cientistas que estavam interessados na fisiologia humana sob a água. Jacques desde criança teve a capacidade pulmonar muito desenvolvida e muitas vezes bateu seus próprios recordes. O filme Imensidão Azul conta a história do mergulhador francês que era considerado estranho pela sua intimidade com o mar e os golfinhos.

O francês Jacques Cousteau, em 1943, em meio a ocupação alemã, mergulhou pela primeira vez na Costa Provençal, até 20 metros com auxílio de um aparelho que ele mesmo inventou chamado aqualung, e abriu caminho para equipamentos modernos de mergulho.

O primeiro campeonato de mergulho livre mundial foi realizado em Saint Jean Cap Ferrat, na França, em 1996, quando o francês Claude Chapuis criou as regras de segurança, as regras de competição e regras de recorde, institucionalizadas pela AIDA Internacional.



O equipamento
Os gastos com os equipamentos podem variar. O clima ajuda e as correntes e temperatura da água também. Nos locais onde o clima é quente durante todo o ano, a roupa de neoprene não tem necessidade. No Brasil, os principais destinos dos mergulhadores são a região de Abrolhos, que concentra a maior quantidade de corais do Atlântico Sul, e Fernando de Noronha, com suas águas transparentes e belas paisagens.

 
Itens importantes
- Snorkel: permite a respiração quando o mergulhador se encontra na superfície da água.
- Nadadeiras: garantem mais força nos movimentos de pernas.
- Colete: controla a flutuação do mergulhador.
- Reguladores: regulam a pressão do cilindro.
- Cilindro: armazena o ar respirável.
- Máscara: protegem os olhos e permitem maior visibilidade.
- Roupa isotérmica: mantém o calor natural do corpo dentro da água.
- Cinto de lastro: compensa a flutuação.
- Profundímetro: indica a profundidade


Opções não faltam, mas não esqueça que você deve estar apto para a prática. Visitar um médico e fazer alguns exames é recomendado. Depois disso, escolha um bom curso e mergulhe fundo por aí!




Fontes:
http://oradical.uol.com.br/mergulho
http://www.mergulhar.com.br
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mergulho




Mariana Goulart



Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa afiliados Área do parceiro Publicidade Imprensa Contato RSS