Como anda a sua etiqueta social?
créditos: Pixabay

Como anda a sua etiqueta social?

Garanto que, quando você leu este título, deve ter achado que esse assunto é bem antigo. Mas não estou falando daquela etiqueta de eventos e de como se portar à mesa. O social a que me refiro são as redes sociais. Tem gente bem mal-educada por aí e a coisa piora quando o assunto é polêmico, como os que envolvem política e futebol.

Em tempos de crises políticas e financeiras, há quase uma guerra declarada nas redes sociais. Melhores amigos podem virar inimigos, seu perfil político pode te excluir até mesmo de um trabalho, e ninguém tem papas na língua quando o assunto é falar mal de um candidato, da economia atual ou quando decide ofender a oposição. Tem quem faça uma limpa nos amigos para não ter que diariamente conviver com mensagens e ideologias contrárias às suas. Talvez isso nem seja tão absurdo, pior que isso é manter a guerra no feed.

Outra coisa bem engraçada são os pedidos de ajuda na indicação por serviços nas redes. As pessoas agem como se a indicação fosse obrigação alheia, sem ao menos deixar um “por favor” na mensagem. Juro que não entendo, você está ali pedindo uma indicação para alguém, que muitas vezes para tudo o que está fazendo para procurar um nome ou contato para repassar, e a criatura nem manda um por favorzinho antes. Confesso: às vezes eu tenho a informação, mas por causa dessa falta de educação de algumas pessoas, não repasso. Quem nunca...

Homem casado ou que tenha namorada também pode ser um problema nas redes. Acho que eles se veem como invencíveis, ou melhor, como invisíveis! Acham que nunca serão descobertos, que “só” porque adicionaram algumas mulheres aleatoriamente, está tudo certo.

Eu sou casada e digo para vocês: tenho mais de 300 solicitações pendentes de homens (a maioria deles, casado também) no Facebook e acabo esquecendo de deletar. Às vezes, quando abro as solicitações, já vou excluindo quem não eu conheço, mas acho engraçado que as minhas fotos de perfil geralmente são com a minha filha. Geralmente, esses são aqueles que ficam irritados com a esposa quando as mesmas aceitam amigos ou adicionam homens aleatoriamente. Sabe aquela coisa de fazer errado e achar que todo mundo faz o mesmo?!

Mas o mais divertido (e aqui não acho que precisa mudar nada) são os nossos pais e parentes. Lembro daquela sensação de adolescente, quando eu tinha vergonha quando a meu pai me beijava ou me elogiava na frente dos outros. Vai dizer que a sua avó nunca escreveu um comentário bizarro (ao mesmo tempo fofo) em uma foto sua ou de seus filhos - e você sentiu vergonha e vontade de rir muito? Na maioria das vezes, as mensagens são positivas e não têm nada de ruim, mas podem ser bem embaraçosas, ah podem!

E quem tem filhos na fase de mexer no celular (acho que até os bebês já fazem isso hoje em dia!)? De repente seu filho manda áudio no grupo do trabalho, fotos desfocadas dos brinquedos para o seu dentista, ou troca a imagem do grupo da escola. Depois, lá vai você se explicar com todo mundo. Afinal, é só uma criança!

Esses dias no feed de uma rede social, li sobre um estudo sobre casais que postam fotos apaixonados compulsivamente, fotos de viagens, de momentos incríveis. Dizia o estudo que essa felicidade estampada para todos é pura fachada, que além de problema de autoafirmação, ainda tem o lance de compensação, como se você não fosse bom o suficiente e tivesse que ficar provando para sua amada e para todos o quanto a ama ou o quanto a sua vida é maravilhosa com ela. Convenhamos que, às vezes, nem é tudo isso... eu me senti bem conformada, pois passo longe desse tipo que faz declarações públicas e que ainda faz uma novelinha da vida irreal nas redes sociais. Você se identifica com a informação, ou o estudo está equivocado?

A grande verdade de tudo isso é que o bom senso e a educação são os maiores nortes que devemos ter. Sim, não desgrudamos mais dos celulares. Sim, vivemos nesta era agora e não vamos regredir, por mais que tenhamos nossos “slow moments”. Mas não custa nada ser mais polido, gentil e praticar a empatia.

É muito melhor ser assim do que sair apagando posts desnecessários depois que seus amigos todos curtiram e estão comentando entre si. Falar mal dos filhos e mães alheias nas redes é fácil. Difícil é resolver seus problemas pessoais, certo?

 

Mariana Goulart



Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa afiliados Área do parceiro Publicidade Imprensa Contato RSS